Prêmio destaca móveis de madeira alternativa

Uma mesa fabricada em louro-faia, da arquiteta paulista Júlia Krantz, foi a vencedora do Prêmio Ibama/Movelsul de Madeiras Alternativas, criado para incentivar moveleiros a valorizar e a utilizar as cerca de três mil madeiras alternativas da Amazônia brasileira. A premiação será na próxima quarta-feira (13/3), em Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, durante o Salão Desing Movelsul.Realizado a cada dois anos, desde 1996, o concurso é resultado de convênio com o Laboratório de Produtos Florestais do Ibama (LPF), que possui um catálogo com cerca de 300 espécies já pesquisadas, das mais de três mil madeiras da Amazônia. O trabalho vencedor concorreu com 514 participantes de toda a América Latina, que utilizaram muiracatiara-rajada, peroba-mica, tuari, pau-amarelo, goiabão, curupixá, louro-tamaquaré, tamimbuca e quaruba-cedro.Segundo Maria Helena Souza, coordenadora do projeto Madeiras da Amazônia - Móveis e Design, ?a grande maioria destas espécies pode substituir as madeiras consagradas, extintas ou em risco de extinção, porque possuem as mesmas características (beleza, tonalidades, desenhos, durabilidade e resistências) encontradas, por exemplo, no mogno, na cerejeira, na sucupira, na imbuia, entre tantas usadas na fabricação de móveis e de objetos de decoração?.Maria Helena explica que o objetivo do LPF é contribuir para uma mudança radical no modelo de exploração das madeiras para móveis no Brasil, caracterizado pelo uso exaustivo de umas poucas espécies, levando-as à extinção, em detrimento de uma grande maioria, pouco conhecida e desprezada pelas indústrias do País. Além da realização do Prêmio, o Ibama mantém um acervo de 50 modelos de móveis fabricados com madeiras alternativas, desenvolvidos por diversos designers, para apresentação em exposições e feitas do setor. Uma dessas criações é a mesa de reuniões de diversas tonalidades, fabricada pelos próprios técnicos do LPF, com seis espécies alternativas (andiroba, pau-amarelo, tatajuba, roxinho, tauari e jatobá), que decora o gabinete do ministro do Meio Ambiente.

Agencia Estado,

08 de março de 2002 | 15h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.