Presidente defenda santuário de baleias

O ministro do Meio Ambiente, José Carlos Carvalho, viaja hoje para o Japão onde vai defender a proposta brasileira de criação de um santuário de baleias no Atlântico Sul. A proposta, que proíbe totalmente a caça na área, será votada no próximo dia 20, em Shimonoseki, na reunião da Comissão Internacional da Baleia (CIB).Durante a reunião do Fórum de Ministros do Meio Ambiente da América Latina e Caribe, encerrada hoje, em São Paulo, Carvalho divulgou carta enviada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso aos presidente dos países que integram a CIB para que apoiem o projeto. A proposta já havia sido apresentada pelo Brasil, na reunião da Comissão realizada em Londres, no ano passado, e obteve 19 votos, dos 24 necessários para a aprovação.?Recebemos o apoio formal da África do Sul, Argentina e Chile. Além disso, esperamos conseguir votos entre os dez países da Comissão que se abstiveram na última reunião. Para conseguir esse apoio, estamos com uma equipe no Japão há uma semana e estou indo pessoalmente à reunião?, disse o ministro.A posição brasileira, defendida pelo presidente, deve-se às avaliações internacionais que indicam que o número de baleias existentes hoje representa apenas 10% do total no início do século XX. Fernando Henrique lembra, na carta aos chefes de Estado, que o Brasil aderiu à moratória da caça por 50 anos, aprovada em 1984 pela CIB, e, desde 1987, quando aboliu a exploração letal de baleias, não há registro de casos de captura no País.

Agencia Estado,

17 de maio de 2002 | 16h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.