Problemas do sono afetam vida sexual de americanos

Um estudo revelou nesta terça-feira que os americanos sofrem de falta de sono, o que atenta contra sua vida sexual e seu casamento. Segundo a pesquisa, os americanos dormem uma média diária de 6,9 horas, apesar da recomendação médica ser de entre sete e nove horas diárias.O problema, que também prejudica seu rendimento no trabalho, foi revelado em uma pesquisa realizada pela Fundação Nacional do Sono.A sondagem indicou que 75% dos americanos têm algum problema vinculado ao simples ato de dormir, tal como despertar em qualquer momento da noite ou roncar sonoramente."A metade do país dorme bastante bem; a outra metade tem problemas", afirmou, em declaração escrita, Richard Gelula, presidente da Fundação. "Só a metade pôde dizer que na maioria das noites tinha dormido bem."O ruim é que muitos acham que não têm esse problema e, se o reconhecem, diminuem sua importância. E como se podia suspeitar, um fator que incide de maneira considerável no problema é a televisão.A enquete realizada com mais de 1.500 adultos determinou que 87% ficam assistindo televisão antes de ir para a cama, enquanto 47% mencionaram que antes de dormir tinham relações sexuais e 64% declararam que liam.Por outro lado, mais de 20% indicaram que tinham diminuído a freqüência de suas relações sexuais devido ao fato de estarem muito sonolentos a maior parte do tempo.Além disso, mais de 30% assinalaram que tinham tido que se ausentar do trabalho algum dia porque tinham muito sono ou tinham cometido erros pelo cansaço. E a maioria - 77% - assinalou que seu casamento tinha problemas de relacionamento devido aos roncos.

Agencia Estado,

29 de março de 2005 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.