Problemas técnicos obrigam astronautas da ISS a longa missão

Serão mais de 7 horas para reparar articulação; sistema de reciclagem de urina está sendo estudado

Agências Internacionais

22 de novembro de 2008 | 11h20

Astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) enfrentarão a mais longa e mais difícil caminhada espacial da missão neste sábado, 22. Serão sete horas de excursão para revestir e reparar uma articulação. Enquanto a tripulação se concentra nos problemas técnicos do lado de fora da estação, engenheiros na Terra têm dificuldades em compreender um problema potencialmente grave com o novo sistema de reciclagem que serve para transformar a urina dos astronautas em água potável.   Veja também: Endeavour tem novos problemas em saída ao espaço Roscosmos diz que há condições de prolongar vida útil da ISS Estação espacial internacional, a ISS, faz dez anos Astronauta perde a bolsa no espaço Urina purificada servirá de água potável para astronautas   O sistema de US$ 154 milhões apresentou problemas novamente na sexta. O equipamento tem de funcionar corretamente e a água tem de passar nos teste de segurança para que a agência espacial dobre o tamanho da tripulação da estação no próximo ano.   "O problema era um defeito no mecanismo da centrífuga no aparelho de destilação", disse a encarregada das comunicações da Nasa ao comandante da ISS, Michael Finke, e à engenheira de vôos, Sandra Magnus, na sexta.   O sistema de reciclagem foi levado na carga da nave Endeavour e fará parte dos novos equipamentos avançados com que contarão os ocupantes do complexo a partir do próximo ano.   O equipamento, instalado no módulo Destiny, faz parte do que a Nasa qualificou de sistema de recuperação de água, através do qual se processarão a urina, o suor dos astronautas e a água com que se lavam para transformar tudo em água potável.   "O sistema está em processo inicial de testes e os astronautas estão prontos para continuá-las", disse a Nasa em comunicado.   "Os testes serão retomados quando o controle da missão achar conveniente", acrescentou.   Além do sistema para reciclar a urina, a Endeavour levou até a ISS uma geladeira, dois aquecedores de água, um vaso sanitário e máquinas para fazer exercícios.   Problemas   Esse não foi o único problema da estação espacial nesta última semana. Na quarta-feira, 19, a astronauta Heidemarie Stefanyshyn-Piper perdeu uma bolsa com metade das ferramentas de trabalho da Endeavour, durante a primeira caminha espacial de reforma da ISS.   Depois, na quinta-feira, 20, a Nasa revelou que a estação foi infestada por fungos devido a um erro dos tripulantes.   Os cosmonautas se lavaram na unidade Zarya e estenderam as toalhas molhadas e a roupa nos painéis, explicou a chefe do laboratório de microbiologia do instituto, Natalia Novikova, citada pela agência de notícias oficial Itar-Tass.   Como conseqüência houve a formação de fungos, o que contribuiu para uma "piora significativa das condições microbiológicas e sanitárias no módulo", acrescentou.   Em seguida, ainda na quinta-feira, 20, tripulantes do Endeavour enfrentaram mais dificuldades na sua segunda saída ao espaço, quando a roupa de um astronauta apresentou níveis elevados de dióxido de carbono.   Durante a saída de quinta-feira, 20, os níveis de dióxido de carbono dentro do traje de Kimbrough subiram acima do limite adotado pela Nasa. O astronauta teve de voltar â câmara de ar um pouco antes do previsto.

Tudo o que sabemos sobre:
ISSEndeavourespaçociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.