Produção mundial de transgênicos cresce 20%

O plantio de lavouras transgênicas aumentou 20% em 2001, apesar da resistência dos consumidores de muitos países, principalmente europeus, em aceitar produtos com organismos geneticamente modificados (OGM).De acordo com o Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações Agro-Biotecnológicas (ISAAA), grupo que promove o uso de tecnologia em países pobres, cerca de 130 milhões de acres foram cultivados no mundo com sementes transgênicas, um extensão 21 milhões de acres maior que em 2000.Argentina e Estados Unidos responderam por 90% das lavouras transgênicas cultivadas no período. Foi também nesses países onde o plantio de tais lavouras mais cresceu.A China também se destaca nesse cenário. Os produtores do país triplicaram o uso de sementes de algodão geneticamente modificadas e as cultivaram em 3,7 milhões de acres no ano passado. O algodão transgênico responde agora por um terço da produção chinesa.Inversão"Em 2000 muitos afirmaram que a produção de transgênicos diminuiria no ano seguinte, mas não foi o que aconteceu", afirma Clive James, presidente do ISAAA. O grupo é formado por fundações e companhias de biotecnologia dos Estados Unidos e por agências governamentais européias. James prevê um crescimento de 10% no cultivo de OGMs este ano.Nos Estados Unidos, cerca de 65% da produção de soja é transgênica, ante 54% em 2000. Perto de 70% da safra de algodão e 26% do milho também são modificados. O país cultivou cerca de 88 milhões de acres de transgênicos em 2001. Na Argentina, a soja transgênica chega a quase 100% da produção.Este ano, a Índia deve aprovar a comercialização de sua primeira safra de algodão modificado. Na Indonésia a primeira produção da fibra foi plantada no ano passado.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2002 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.