Projeto brasileiro é premiado em Johannesburgo

Uma iniciativa ligada ao Programa Pobreza e Meio Ambiente na Amazônia (Poema), da Universidade Federal do Pará, está entre os dez finalistas do prêmio Parcerias e Desenvolvimento Sustentável, que será entregue amanhã, em Johannesburgo, durante a Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+10). O prêmio, uma promoção da Câmara de Comércio Internacional (ICC) em associação com o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (PNUMA), será recebido pelo professor Thomas Mitschein, coordenador geral do projeto.Selecionado entre 120 indicações, de 37 países, o Poema é uma parceria entre a Universidade Federal do Pará, a Unicef e a multinacional DaimlerChrysler, com pequenos produtores de coco do interior do Pará. Criado com o propósito de diminuir os impactos sobre a Amazônia, fixar e dar trabalho à população local e promover a utilização de matérias-primas renováveis, o projeto consiste na utilização de fibras naturais, extraídas da casca do coco, na fabricação de encostos de cabeça, pára-sol interno, assentos e encostos de bancos, que equipam veículos Mercedes-Benz produzidos no Brasil.Pelo projeto - que já foi contemplado com os prêmios Eco 2001, da Câmara Americana de Comércio (Amcham/SP), e Marketing Best 2001, da Fundação Getúlio Vargas -, famílias de pequenos agricultores fornecem cascas de coco para unidades locais de processamento de fibras pertencentes à comunidade. Essas cooperativas fornecem as fibras processadas à Poematec, empresa inaugurada em março de 2001, em Belém, que fabrica diversos produtos, entre os quais as peças para os automóveis da Daimler-Chrysler produzidos em Juiz de Fora (MG) e São Bernardo do Campo (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.