Promotores definem estratégia para investigar desastre ambiental

Representantes do Ministério Público dos Estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo e do Ministério Público Federal decidiram nesta sexta-feira adotar uma estratégia conjunta para investigar o desastre ambiental causado pelo rompimento, no último dia 29, de um reservatório de rejeitos químicos pertencente às empresas Indústria Cataguazes de Papel Ltda. e Florestal Cataguazes Ltda..O vazamento atingiu os rios Pomba e Paraíba do Sul, provocando o maior desastre ambiental do País. Promotores de Justiça e procuradores da República que investigam o acidente estiveram reunidos em Belo Horizonte nesta sexta-feira por mais de quatro horas. De acordo com o procurador de Justiça do Meio Ambiente do Ministério Público de Minas, Jarbas Soares Júnior, designado para ser o porta-voz do grupo, a idéia é evitar ?ações isoladas em cada Estado?. Segundo Jarbas Soares, as ações civis, como reparação dos danos ambientais e à população, e para a prevenção de novos acidentes serão feitas em comum por todos os Ministérios Públicos envolvidos. A ação penal ficará a cargo da Justiça Federal de Campos.

Agencia Estado,

11 de abril de 2003 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.