Proteína funciona como anticoncepcional masculino

Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte (EUA) deram mais um passo na busca de um anticoncepcional masculino, usando uma proteína que inibe a produção de espermatozóides. O estudo foi publicado na Science.Os cientistas do Laboratório de Biologia Reprodutiva daquela universidade fizeram um experimento bem sucedido com macacos, dando-lhes uma solução com proteína Eppin, extraída dos testículos dos animais.Nove macacos receberam a solução e sete deles reagiram ficando estéreis. Depois de suspenso o uso da solução, cinco recuperaram a fertilidade."Um tratamento similar poderia possibilitar um método anticoncepcional reversível nos homens", disse Michael O´Rand, que dirigiu o estudo.A proteína Eppin, segundo O´Rand, também poderia ser aplicada nos homens. Até o momento não foi desenvolvido um método anticoncepcional químico satisfatório para os homens, que contam apenas com o uso de preservativos e a vasectomia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.