Proteína recupera lesão em medula de ratos

Efeito anti-inflamatório da polilaminina surpreendeu os cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Clarissa Thomé / Rio, O Estado de S.Paulo

28 Julho 2010 | 00h00

Uma proteína extraída da placenta humana pode dar esperança a pessoas que sofreram lesões medulares. Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro testaram o efeito da laminina polimerizada e os resultados demonstraram um efeito anti-inflamatório e regenerativo que permitiu a recuperação do movimento de ratos paraplégicos.

A próxima etapa do estudo, dissertação de mestrado de Karla Menezes orientada pela bióloga Tatiana Coelho-Sampaio, é partir para pesquisa com pacientes, o que deve demorar pelo menos dois anos.

A laminina polimerizada ?ou polilaminina ? aparece no sistema nervoso central durante o desenvolvimento embrionário. A equipe conseguiu reproduzi-la. Os ratos sofreram lesão completa da medula, que foi dividida em uma altura em que os animais perderiam os movimentos das patas traseiras. Depois, passaram por testes, nos quais receberam notas de 0 a 21, em que 0 representa a ausência de movimentos e 21, funções motoras preservadas.

Os animais não tratados passaram, após oito semanas, à escala 4. Os que receberam a proteína receberam nota 9. A equipe foi surpreendida com o efeito anti-inflamatório: a polilaminina reduziu o edema no local da lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.