Putin diz que ratificará logo Protocolo de Kyoto

O presidente russo, Vladimir Putin, disse, durante negociações com a União Européia para a entrada da Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC), que seu país irá se mover rapidamente para ratificar o Protocolo de Kyoto, que tem como objetivo reduzir os gases que causam o aquecimento global. No dia anterior, fontes qualificadas haviam dito que não seria feito nenhum anúncio até agosto, quando deve terminar uma extensa consulta sobre o tema."Esse é um sinal muito positivo e bem-vindo", disse Klaus Toepfer, chefe do Programa de Ambiente das Nações Unidas, em nota. "A ratificação pela Rússia é o último passo crucial para tornar o Protocolo de Kyoto operacional."O protocolo ficou na dependência de aprovação pela Rússia quando os Estados Unidos desistiram de ratificá-lo em 2001 - ele não pode entrar em vigor até que as nações desenvolvidas, responsáveis por 55% das emissões, o ratifiquem.Anteriormente, Putin havia se recusado a ficar do lado do protocolo, pedindo que órgãos do Estado enviassem recomendações oficiais sobre o pacto. Os dois relatórios preparados até então - pela Academia de Ciências e por um conselheiro de Putin - criticaram o pacto. Observadores ficaram desconcertados com a decisão de Putin de ir em frente antes do término do processo de recomendações oficiais instituído por ele mesmo."Eu realmente não esperava isso", disse Alexei Kokorin, um especialista em Kyoto do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) . Analistas esperavam havia muito tempo que Putin só cedesse às pressões sobre Kyoto em troca da entrada da Rússia na OMC.

Agencia Estado,

21 de maio de 2004 | 19h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.