Putin levanta novas dúvidas sobre o Protocolo de Kyoto

O presidente russo, Vladimir Putin, levantou novas dúvidas sobre a disposição de Moscou em ratificar o Protocolo de Kyoto, alegando que o pacto falhará em atingir seus objetivos de lutar contra o aquecimento global. "Até mesmo se (o Protocolo) contar com a aprovação total de 100%, não irá reverter as mudanças climáticas", disse ele em conferência organizada pelo Fórum Econômico Mundial, na capital russa.No início desta semana, Putin já havia levantado incertezas no fórum, ao dizer que seu gabinete ainda não havia decidido se ratificaria ou não o Protocolo. A divisão entre os que apóiam e rejeitam o pacto evitou que o fórum chegasse a uma consenso sobre a emissão de gases poluentes.O assessor econômico de Putin, Andrei Illarionov, figura fundamental na política econômica da Rússia, garantiu que a assinatura russa do protocolo eliminaria os objetivos da administração de Putin em dobrar o PIB do país em 10 anos, pois o forçaria a cortar emissão industrial. "O Protocolo de Kyoto vai congelar o crescimento econômico", disse Illarionov. "Levará a Rússia à pobreza, à fraqueza e ao atraso".O Protocolo de Kyoto de 1997 exige dos países a redução, até o ano de 2012, do nível de emissão de poluentes na atmosfera, que provocam o efeito estufa, para os níveis de 1990.Para entrar em vigor, necessita da assinatura de, no mínimo, 55 países responsáveis por 50% da poluição em 1990 no planeta. Este mínimo pode ser alcançado somente se a Rússia ratificá-lo, porque os EUA já o rejeitaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.