PV protesta conta carga de urânio no Porto do Rio

Integrantes do Partido Verde fizeram hoje protesto em frente ao Ministério Público Federal contra a chegada do navio dinamarquês Jens Nu Munk ao Porto do Rio, na Baía de Guanabara, com carga de 41,9 toneladas de urânio enriquecido e 113 toneladas de concentrado de urânio. O deputado estadual Alessandro Calazans (PV) pediu abertura de inquérito de ação civil para punir os responsáveis pelo transporte do urâniona Baía de Guanabara. Ele lembra que a área é considerada de preservação permanente pelo artigo 268 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro. Odeputado criticou ainda a falta de um Plano de Emergência Individual, já que se tratava de transporte marítimo de produtosperigosos.?O plano emergencial foi apresentado às autoridades internacionais para que aprovassem a saída do navio da Holanda. Aqui ele foi inspecionado pela Marinha, antes de atracar, e há um plano de transporte terrestre aprovado pela CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear)?, afirmou o gerente de Meio Ambiente das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Robson Spinelli.O urânio enriquecido foi encomendado pela INB e deveria seguir na noite de hoje para a fábrica de Resende, onde serátransformado em combustível nuclear, para abastecer as usinas de Angra 1 e 2. Na segunda-feira, o carregamento das 113toneladas de concentrado de urânio ? o composto conhecido como yellow cake ? no Porto de Salvador gerou polêmica com oInstituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) local. Essa é a 14.ª vez que o Brasil recebecarregamento de urânio enriquecido.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2004 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.