Qualidade da pesquisa vale mais que possuir estação

O glaciologista Jefferson Cardia Simões afirma que, dentro do sistema do Tratado Antártico, é a qualidade da pesquisa científica que garante status, não a presença física. "Aquela ideia da década de 90, de ter uma estação e pronto, não dá status. Qualquer um pode ter. Paquistão tem estação, Uruguai também, a Índia tem duas estações, a China tem três." Para ele, é importante que o Brasil mantenha o status para poder participar de qualquer decisão que venha a ser tomada sobre a Antártida. "Não podemos abdicar do direito de decidir sobre o futuro de 10% do planeta. Ainda mais quando o futuro desses 10% impacta todo o restante da Terra." / A.B.

, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.