Radar de raios laser revela cratera de meteoro no Canadá

O objeto responsável pela depressão tinha cerca de um metro de diâmetro e caiu há 1.100 anos

da Redação,

02 de dezembro de 2008 | 17h03

Cientistas canadenses usaram um Lidar, uma espécie de radar que utiliza raios laser em vez de ondas de rádio ou microondas, para determinar o tamanho de um cratera de meteoro de 1.100 anos atrás, que já estava coberta por vegetação. A cratera tem cerca de 40 metros de diâmetro e é a mais jovem já descoberta no Canadá. O trabalho é descrito na edição deste mês da revista especializada Geology.   Asteróide de 10 toneladas desintegra-se no céu do Canadá   Segundo nota da Universidade de Alberta, o curador do museu de meteoritos da instituição foi procurado, em 2007, por moradores  da localidade de Whitecourt, que haviam encontrado diversos pedaços de metal das imediações de uma depressão no solo.   O Lidar foi usado porque, diferentemente do radar, permite a remoção dos sinais produzidos pela vegetação e cria um modelo detalhado do relevo do solo. O resultado foi uma imagem clara de uma cratera de 36 metros de diâmetro e seis de profundidade.   O objeto responsável pela depressão tinha cerca de um metro de diâmetro, e chegou à Terra a uma velocidade máxima de 17 quilômetros por segundo, ou mais de 60 mil km/h.   Meteoritos foram resgatados da área, encontrados a uma profundidade de até 25 cm e a uma distância de até 70 metros da cratera. As maiores amostras descobertas pesam mais de um quilo e têm mais de 10 centímetros de diâmetro.

Tudo o que sabemos sobre:
meteoritometeoroasteróidecanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.