Radiotelescópio irá auxiliar na busca por vida extraterrestre

Os cientistas que procuram por vida em planetas distantes estão prontos para usar o primeiro radiotelescópio do mundo para analisar sinais isolados por usuários voluntários de computador domésticos em todo o mundo. O astrônomo Dan Werthimer conduzirá um grupo da Universidade de Berkeley, na Califórnia, para o trabalho de três dias no Observatório de Arecibo, em Porto Rico, a partir desta terça-feira. ?Estamos seguindo os sinais mais promissores que encontramos...combinando com dados?, disse Werthimer.São aproximadamente 150 sinais de rádio escolhidos entre os dados selecionados por usuários. Mais de 4 milhão voluntários instalaram um programa chamado SETI@home que utiliza o poder de processamento ocioso de computadores espalhados por todo o mundo para filtrar sinais de rádio potencialmente emitidos por civilizações extraterrestres.Usando a Internet, os computadores dos voluntários emitem resultados a Universidade de Berkeley, para serem analisados por peritos. Com astrofísico Eric Korpela e o estudante de graduação Paul Demorest, Werthimer tentará ajustar o telescópio para encontrar sinais fortes na escala do espectro do microonda. É a primeira vez desde que o programa começou em 1999 que os cientistas usarão os dados recolhidos pelos computadores domésticos para guiar suas buscas. ?Este é o ponto alto?, disse Werthimer. Para cada sinal, ?nós temos que apontar o telescópio a esse lugar no céu e ver se nós podemos encontrar o sinal outra vez. O observatório de Arecibo está localizado a 16 quilômetros da cidade com o mesmo nome em Porto Rico. É o maior radiotelescópio montado em um único ?prato? refletor com cerca de 300 metros. Pertence a National Science Foundation e é operado pela universidade de Cornell. Na maioria das vezes, cientistas usam o observatório por rádio para estudar pulsares, galáxias distantes, o sistema solar e a atmosfera.Muitos dos voluntários que utilizam o programa do Seti têm interesses na ficção científica ou na astronomia. Kelly Holmes, de 25 anos, moradora de Austin, no Texas, se tornou voluntária inspirada pelo filme ?Contato?. ?Coloquei em meu computador e nos do escritório, disse Holmes que trabalha em uma empresa de engenharia. Há alguns dias, Holmes recebeu um e-mail dizendo que seu computador detectou alguns sinais promissores. ?É bastante emocionante?, disse.

Agencia Estado,

14 de março de 2003 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.