Raios cósmicos podem ajudar a detectar eventos climáticos

Muons a 800 metros abaixo da terra se relacionam com mudança de temperatura da estratosfera

da Redação,

21 de janeiro de 2009 | 20h52

Raios cósmicos detectados a 800 metros abaixo da terra em uma mina de ferro desativada podem ser usados para detectar grandes eventos climáticos acontecendo a 32 quilômetros na alta atmosfera da Terra, revelou um novo estudo.  Um estudo, publicado na revista Geophysical Research Letters e realizado por cientistas do National Centre for Atmospheric Science (NCAS) e do Science and Technology Facilities Council (STFC), mostrou como o grande número de raios cósmicos atingindo um detector abaixo da terra se aproxima das medidas de temperatura na alta atmosfera (conhecida como estratosfera). Pela primeira vez, cientistas mostraram como esse relacionamento pode ser usado para identificar eventos climáticos que ocorrem de repente na estratosfera durante o inverno do hemisfério norte. Esses eventos têm um efeito significativo sobre a gravidade dos invernos e também na quantidade de ozônio sobre os polos - conseguir identificar e entender suas frequências é crucial para completar. os modelos climáticos atuais e melhorar as previsões.  Trabalhando em colaboração com um grande experimento de física de partículas chamado Minos, os cientistas analisaram quatro anos de dados de raios cósmicos detectados em uma mina de ferro desativada no estado de Minnesota. O que eles observaram foi um relacionamento muito próximo entre raios cósmicos e a temperatura estratosférica - isso eles puderam entender: os raios cósmicos, conhecidos como muons são produzidos de outros raios cósmicos, conhecidos como mesons. A crescente temperatura da atmosfera expande os gases fazendo com que poucos mésons sejam destruídos no impacto com o ar, deixando mais para que gere mais muons. Consequentemente, se a temperatura aumenta, também aumenta a quantidade de muons detectados.  O que surpreendeu os cientistas, no entanto, foram os aumentos intermitentes e repentinos observados nos níveis de muons durante os meses de inverno. Esses aumentos nos dados ocorriam durante apenas alguns dias. Eles descobriram que essas variações coincidiam com aumentos na temperatura da estratosfera. O estudo mostra, pela primeira vez, que dados de raios cósmicos podem ser usados efetivamente para identificar esses eventos.

Tudo o que sabemos sobre:
ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.