Raios-X revelam o som de um buraco negro

A voz de um buraco negro é de um baixo profundo, grave demais para ser detectada pelo ouvido humano. Embora o som não se propague no vácuo, o Observatório Chandra de Raios-X permitiu que os cientistas analisassem as ondas sonoras que se formam no gás superaquecido que existe ao redor de um buraco negro no aglomerado Perseu, um imenso agrupamento de galáxias a 250 milhões de anos-luz.Astrônomos do Instituto de Astronomia em Cambridge, Inglaterra, descobriram o som ao analisar as imagens produzidas pelo Chandra. O professor Andy Fabian, do Instituto, disse que uma análise detalhada dos dados coletados pelo telescópio de raios-X mostrou ondulações no padrão da radiação, provocadas pelas ondas sonoras excitadas pela energia do buraco negro.A freqüência do som é mais de um milhão de bilhão de vezes mais profunda do que os limites do ouvido humano, diz Fabian. A ?voz? do buraco negro deixa sua assinatura no padrão de raios-X emitidos pelos gases ao redor da estrela morta: espremidos pelo puxão gravitacional do buraco negro e das galáxias ao redor, os gases se hiperaquecem a uma temperatura alta o bastante para gerar raios-X. As ondas mecânicas - som - aumentam a temperatura, alterando o padrão da radiação, o que é detectado pelo Chandra.

Agencia Estado,

09 de setembro de 2003 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.