<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Ratificar Kyoto contraria interesses da Austrália, diz premier

O primeiro-ministro da Austrália, John Howard, afirmou no Parlamento, nesta quarta-feira, que ratificar o Protocolo de Kyoto iria contra os interesses nacionais."Enquanto os maiores países contaminantes do mundo, incluindo Estados Unidos e China, não fizerem parte do Protocolo de Kyoto, é inútil e negativo para um país como a Austrália, assiná-lo", declarou.A negativa australiana em ratificar o protocolo, que começa a vigorar neste 16 de fevereiro, foi motivo de críticas e protestos em todo o país por parte de grupos como Greenpeace, The Wilderness Society, Total Environment Centre e Climate Action Network Australia.Pântano secoO Greenpeace, que colocou um enorme cartaz na parte seca do maior pântano de Nova Gales do Sul, Warragamba, onde se lia "isto é a mudança climática", pode ser multado em quase 850 dólares australianos pelo protesto, segundo a Autoridade de Águas de Sydney.A organização ecológica distribuiu hoje milhares de pequenos moinhos de vento de papel, também como protesto.Na Nova Zelândia, país que ratificou o protocolo, seis ativistas da organização marcaram a data instalando um acampamento no cume da empresa de energia Marsden B, de 50 metros de altura. Eles levaram comida e água e pretendem passar alguns dias no acampamento.A entrada em vigor do Protocolo de Kyoto foi possível depois da ratificação pela Rússia, responsável por 17,4% da emissão de gases na atmosfera. Com isso se alcançou o mínimo de 55% de emissões totais de gás, previstos para o protocolo poder ser aplicado.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2005 | 06h50

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.