Regresso da nave chinesa depende de condições do tempo

O retorno à Terra da nave espacial chinesa Shenzhou VI, com dois astronautas a bordo, está sujeita às condições meteorológicas, disse nesta sexta-feira um especialista citado pela agência de notícias Nova China. "O regresso pode ser antes ou depois do quinto dia seguinte ao lançamento", declarou Wu Guoting, do Instituto de Pesquisa Tecnológica Espacial. A Shenzhou VI foi lançada na manhã de quarta-feira para realizar uma missão de 119 horas, quase cinco dias. Esse é o segundo vôo espacial tripulado chinês, realizado dois anos depois do primeiro, que foi bem-sucedido. "O dia e a hora do regresso serão fixados em função das condições meteorológicas", acrescentou Wu Guoting, destacando que a nave conta com bastante comida, oxigênio e água para uma missão de sete dias. A cápsula com os dois homens a bordo deve pousar na Mongólia Interior, na região de Siziwang, 400 km ao noroeste de Pequim. Shenzhou ("nave divina") VI foi ligeiramente desviada na quinta-feira da órbita preestabelecida e se encontrava um pouco mais perto da Terra do que o previsto, uma operação classificada como normal pelos especialistas citados pela imprensa oficial chinesa. Já o responsável pelo Departamento de Ásia no Center for Naval Analyses (CNA) de Virgínia (EUA), Dean Cheng, disse que, embora todos os vôos orbitais precisem de correções, este desvio é pouco habitual e preocupante. "Em si mesmo, não é um grande problema, mas não explicaram a razão das modificações depois de todos os preparativos. A questão é saber o que não funcionou", afirmou.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2005 | 02h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.