Reino Unido libera 1.500 páginas de arquivos secretos de óvnis

Um piloto da Alitalia acreditou que seria atingido por um míssila oa vistar um óvni perto de seu avião em 1991

Associated Press,

20 de outubro de 2008 | 14h47

O piloto Achille Zaghetti, da Alitalia, pensou que fosse um míssil. Zaghetti estava no comando de um jato que ia de Milão para Londres na noite de 21 de abril de 1991, quando um objeto voador passou em alta velocidade por seu campo de visão.   Os arquivos oficiais sobre óvnis do Reino Unido   "De cara eu disse 'olha lá, olha lá' ao meu co-piloto, que olhou para fora e viu o que eu tinha visto", escreveu Zaghetti em seu relatório. "Assim que o objeto passou por nós perguntei ao operador do ACC (centro de controle de área) se ele via alguma coisa em sua tela, e ele respondeu, 'vejo um alvo desconhecido 10 minhas náuticas atrás de você'".   Uma investigação posterior descartou a possibilidade de que fosse um míssil - mas nunca confirmou qualquer outra coisa.   O contato imediato é um dos muitos episódios envolvendo óvnis registrados nos 19 arquivos que o Arquivo Nacional Britânico disponibiliza a partir desta segunda-feira, 20, na internet. O novo material trata de avistamentos ocorridos de 1986 a 1992.   Embora o calhamaço de 1.500 páginas mostre que uma grande parte dos avistamentos eram fenômenos ordinários, como a projeção de raios laser de um show de rock nas nuvens, outros eventos, como a quase colisão de Zaghetti, continuam inexplicados.   Em 17 de julho de 1991, quatro passageiros do vôo Dan Air 737, com destino a Hamburgo, Alemanha, avistaram "um projétil sem asas passando por baixo e para a esquerda do avião", enquanto o aparelho decolava do Aeroporto Gatwick, de Londres.   "Parece que passou bem perto, já que os passageiros foram capazes de vê-lo com clareza", escreve um funcionário da Autoridade de Aviação Civil.   Mais preocupante foi o avistamento, um mês depois, pela tripulação de um Boeing 737 da Britannia Airways, de "um pequeno objeto negro em forma de losango" passando a cerca de 100 metros da asa do avião.    O aeroporto confirmou o avistamento do objeto no radar e cronometrou sua velocidade em 190 km/h. O controle de tráfego aéreo advertiu o avião seguinte para que saísse do caminho do objeto, embora o corpo já tivesse desaparecido de vista.   As especulações centraram-se em um balão meteorológico lançado na área, mas a investigação foi inconclusiva.   A liberação desta segunda-feira foi o segundo lote de arquivos sobre óvnis que os militares britânicos divulgaram neste ano. Segundo o especialista David Clarke, que trabalha com o Arquivo Nacional, disse que nos próximos anos um total de 160 arquivos relacionados a óvnis estarão abertos ao público.   Alguns dos registros são malucos ou impossíveis de checar.   Uma pessoa diz aos militares que ouviu uma gritaria de alienígenas enquanto acampava. Outro anuncia que "serpentes aladas lendárias" aguardam  permissão para pousar na Terra.   De vez em quando, porém, as autoridades conseguem fechar um caso sem muito esforço e com evidências irrefutáveis. Em uma tarde de novembro, em 1992, um burocrata ligou para o Ministério da Defesa para dizer que um objeto brilhante estava pousando devagar em Regent's Park, Londres.   "À medida que o telefonema se desenrolava, ficou claro que o objeto era uma pipa", diz a anotação do militar que registrou a ocorrência.

Tudo o que sabemos sobre:
óvniarquivo secretoreino unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.