Rejeitado pedido do casal Hernandes para arquivar ação

Ministério Público acusa os bispos de aumentarem seu patrimônio, nos últimos 20 anos, explorando a fé

da Redação,

16 de outubro de 2008 | 15h21

O Supremo Tribunal Federal (STF) indeferiu o pedido de liminar dos fundadores da Igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sonia Haddad Hernandes, para que fosse arquivado o processo a que respondem por lavagem de dinheiro por organização criminosa. A ação tramita na 1ª Vara Criminal de São Paulo. A decisão foi tomada pelo ministro Marco Aurélio na quinta, 9, quatro dias antes de ele suspender liminarmente o pedido de extradição do casal feito pelo governo brasileiro.     Veja também:  STF concede habeas e suspende extradição do casal Hernandes Leia a íntegra da decisão do Supremo   O Ministério Público acusa os bispos de aumentarem seu patrimônio, nos últimos 20 anos, explorando a fé alheia por meio da igreja. O casal, no entanto, alegou no Supremo que a denúncia terá sido baseada em informações da imprensa e que se tratava de perseguição religiosa. Segundo o Supremo, Aurélio ressaltou que a existência de dois pronunciamentos no STJ e no Tribunal de Justiça paulista "sinaliza a impropriedade de suspender-se, ainda que temporariamente, a ação". 

Tudo o que sabemos sobre:
casal HernandesIgreja Renascer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.