Relâmpagos anunciam 24 horas antes força máxima do furacão

Hoje é possível antecipar a rota de um furacão, mas não sua intensidade; relâmpagos podem ser um meio

Efe,

06 de abril de 2009 | 15h41

A força máxima do vento de um furacão vem precedida, na maioria dos casos, de uma grande intensidade de relâmpagos um dia antes, segundo um estudo dos 58 maiores furacões registrados entre 2005 e 2007 e que sugere que este pode ser um bom sistema de alerta antecipado.

 

O professor de ciência atmosférica Colin Price e seus colegas da Universidade de Tel-Aviv, que publicam nesta segunda-feira, 6, os resultados de sua pesquisa na revista Nature Geoscience, afirmam que este conhecimento pode ser uma poderosa ferramenta para prever o comportamento dessas tormentas.

 

"A evolução da intensidade de um furacão, até agora difícil de antecipar, é crucial para os sistemas de alerta", asseguram.

 

Os cientistas analisaram os 58 furacões de força 4 e 5 registrados no mundo entre 2005 e finais de 2007, em que os violentos ventos alcançaram uma velocidade de mais de 210 quilômetros por hora.

 

"Em mais de 70% dos casos o máximo nível de atividade elétrica precede em um dia a máxima intensidade do vento", disse Price.

 

A explicação científica, segundo os autores, é que a atividade elétrica está relacionada com um aumento da convecção, que aumenta a umidade na troposfera e produz, por sua vez, uma intensificação da força do vento.

 

Hoje é possível antecipar a rota de um furacão, mas não sua intensidade. Isso acontece porque os furacões passam a maior parte do tempo sobre os oceanos, sendo difícil obter dados a seu respeito antes que toquem a terra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.