Relatório mostra situação dos parques do mundo

Se forem contabilizados todos os tipos de parques e reservas, o número de áreas protegidas do planeta já supera os 100 mil, sendo que 90% delas foram estabelecidas nos últimos 40 anos. Mesmo assim, ainda há ecossistemas importantes legalmente a descoberto, como os campos temperados da Ásia Central ou mesmo as pradarias norte americanas e boa parte dos grandes lagos naturais, reservatórios vitais de água para a população humana. Tais informações estão no relatório ?2003 United Nations List of Protected Areas?, elaborado conjuntamente pelo Programa das Nações Unidas sobre Meio Ambiente (Pnuma) e União Mundial para a Conservação (IUCN), e divulgado hoje (9/9), em Durban, na África do Sul, durante o V Congresso Mundial de Parques. O documento faz um balanço de todo tipo de área protegida, no último século, destacando sucessos e falhas nos sistemas de proteção.?O movimento ambiental global e as Nações Unidas podem ficar orgulhosos, com justiça, do aumento das áreas protegidas?, afirmou Klaus Toepfer, diretor do Pnuma, em nota à imprensa. ?Desde 1962, o ano do Primeiro Congresso Mundial de Parques, o número dessas áreas proliferou, indo de um total de 2 milhões de quilômetros quadrados para os atuais 18 milhões de km2?.Conforme a lista elaborada pelo Pnuma e IUCN, o total de áreas protegidas, incluindo pequenas reservas particulares de até 10 hectares, é 102.102, cobrindo 18,8 milhões de km2. Destes, 17 milhões estão em terra, representando 11,5% da superfície terrestre, uma área maior do que a soma de lavouras permanentes. O continente com maior número de unidades de conservação ? 43 mil - é a Eurásia, mas as maiores áreas protegidas estão na América do Sul e Central, alcançando 25% do território. O Pacífico é a região menos protegida, com 320 parques, que representam cerca de 1,5% do território total.O documento destaca os progressos feitos nas florestas e savanas tropicais e na tundra ártica, cujo índice de proteção está entre 10 e 30%, sendo que as florestas amazônicas já alcançaram 23%. Quase 17% das florestas úmidas temperadas e subtropicais do mundo estão em parques e reservas, assim como algo em torno de 30% dos ecossistemas insulares da Indonésia. As savanas africanas chegam a 15% e as áreas desérticas e semi-desérticas do Saara tem mais de 10% de proteção, mesmo índice das florestas sempre verdes de eucaliptos da Austrália. Dos 14 grandes biomas da Terra, portanto, 9 estão listados entre os casos de sucesso e 5 são considerados desafios. Entre estes estão os grandes lagos (1,5% de proteção), os campos temperados (4,5%) e os desertos gelados de Góbi (menos de 8%), as florestas temperadas da América do Norte e Europa (8%) e as florestas e bosques de pinheiros da Escócia e Escandinávia (9%). E há ainda a preocupação em aumentar a proteção dos oceanos. Hoje existem 4.116 parques e reservas marinhas, que cobrem 1,6 milhões de km2, menos de 0,5% da área total.Klaus Toepfer, do Pnuma, reitera a importância de se prosseguir com a implementação dessas áreas em terra e cuidar das grandes lacunas no mar. ?E ainda precisamos descobrir como estender a todo mundo os bons exemplos de manejo e distribuição de benefícios advindos das áreas protegidas. Não podemos simplesmente terminar com ilhas de fauna silvestre, hábitats e ecossistemas bem protegidos, cercados por um mar de degradação ambiental?, acrescentou.Achim Steiner, diretor geral da IUCN ressaltou a adesão de muitos países em desenvolvimento aos esforços para estabelecimento de novas áreas protegidas, notadamente após a Rio-92. Segundo ele, 40% do total de reservas e parques hoje está nestes países. A equipe técnica responsável pela elaboração do relatório deve se concentrar, a partir de agora, no detalhamento dos dados sobre cada unidade de conservação. Apesar do documento listar o tamanho das áreas protegidas e o tipo de ecossistemas que elas protegem, ainda faltam informações sobre sua real implementação e o manejo efetivamente realizado. Lista de Áreas Protegidas 2003 Notícias do Pnuma sobre o Congresso Mundial de Parques

Agencia Estado,

09 de setembro de 2003 | 13h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.