Remédio para colesterol protege vítima de ataque cardíaco

A rápida administração de remédios do grupo statin - como atorvastatin, simvastatin e lovastatin -, receitados para controlar o colesterol, reduz pela metade o risco de morte dos pacientes que sofreram ataques cardíacos, afirma um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia.Os resultados confirmam e ampliam os dados que cientistas suecos tinham obtido em pesquisa parecida. Os pesquisadores do Hospital Universitário de Linkoping, na Suécia, afirmaram que os statin aumentavam a sobrevivência em 25% se o paciente recebesse estes remédios no ano posterior ao ataque cardíaco.Segundo o cardiologista Gregg Fonarow, diretor da pesquisa americana, este estudo "oferece a prova mais contundente até o momento para apoiar os efeitos protetores dos statin imediatamente após um ataque do coração".Os remédios do grupo statin são usados tradicionalmente para reduzir o nível de colesterol no sangue dos pacientes.O estudo dirigido por Fonarow avalia o histórico médico de mais de 170 mil pacientes que sofreram ataques cardíacos. Os que receberam statin antes da hospitalização e 24 horas depois do ataque tinham risco 54% menor de morrer.A cifra subiu para 58% nos pacientes que nunca tinham recebido este remédio e tomaram o medicamento 24 horas após a internação.Fonarow, que fez a pesquisa para empresas que produzem os statin, disse também que eles "proporcionam proteção adicional contra outras complicações dos ataques".

Agencia Estado,

30 de agosto de 2005 | 12h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.