Remédio para diabete reduz risco de doença cardíaca

O Actos, um remédio amplamente receitado para o tratamento de diabete do tipo 2, aparentemente também diminui o risco de problemas cardiovasculares perigosos entre os diabéticos, de acordo com um estudo publicado na revista The Lancet online.Pessoas com diabete do tipo 2 correm um alto risco de sofrer AVC ou um ataque cardíaco - até quatro vezes mais do que a população em geral. Um "evento cardiovascular" é a principal razão pela qual um paciente de 40 anos, diagnosticado com diabete, provavelmente viverá oito anos menos do que uma pessoa que não tem a doença.Mais de 5.200 pacientes com diabete do tipo 2 participaram de um estudo de longo prazo para verificar se o Actos, também conhecido por seu nome de laboratório pioglitazone, pode diminuir o risco de problemas cardiovasculares, além da função de controlar o nível de glicose no sangue.Metade das pessoas tomou o Actos, enquanto a outra metade ingeriu placebo. A saúde de todos foi monitorada por três anos, em média. Os que foram tratados com o Actos apresentaram 16% menos chances de sofrer um ataque cardíaco ou derrame do que os que receberam o placebo.A diabete do tipo 2 atinge proporções epidêmicas nos Estados Unidos e outros países ricos, devido, sobretudo, ao aumento da obesidade. Mais de 150 milhões de pessoas são afetadas mundialmente pela doença, que está ligada à morte de 5 milhões de pessoas por ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.O número de doentes quase triplicou em meio século de 55 milhões em 1955 e, segundo especialistas, deve chegar a 300 milhões em 2025.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2005 | 11h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.