Remédios evitaram 350 mil mortes por aids

O maior acesso aos tratamentos com remédios anti-retrovirais evitou entre 250 mil e 350 mil mortes desde o fim de 2003, calculam especialistas do Programa das Nações Unidas para a Aids (Unaids) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo relatório publicado nesta segunda-feira."A cobertura do tratamento em países como Brasil, Argentina, Chile e Cuba supera 80% dos doentes", afirma o documento, que também ressalta a melhora da situação nos países mais pobres da América Latina e do Caribe.Mas os especialistas também ressaltaram que "controlar a aids exigirá enfrentar com maior determinação os fatores subjacentes que alimentam essas epidemias, inclusive as desigualdades e as injustiças sociais".Unaids e OMS recomendam que os países fortaleçam de forma simultânea os programas de tratamento e de prevenção e que se comprometam em nível nacional e mundial a conseguir o acesso universal aos remédios anti-aids.Os especialistas calculam que serão necessários US$ 15 bilhões em 2006 para o combate à aids, outros US$ 3 bilhões em 2007 e mais US$ 4 bilhões em 2008.  leia também  Aids bate recorde de contaminação: 40,3 milhões em 2005     África tem 75% dos doentes com aids no mundo  

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.