Restaurante é fechado por vender ´carne de tigre´

O restaurante Hufulou da cidade de Harbin, norte da China, teve de fechar por causa de um escândalo em torno de seu delicioso "prato de carne de tigre" siberiano. O prato, cujo custo ascendia a 800 iuanes por pessoa (US$ 98), chamou a atenção da imprensa local por ser ilegal a caça, o tráfico e o consumo do tigre siberiano na China.Este tipo de animal está na lista número um de proteção de espécies em perigo de extinção da China e figura também entre os dez animais mais ameaçados do mundo.Os garçons do restaurante, a menos de um quilômetro da reserva natural de tigres siberianos de Hengdaohezi, em Harbin, confessaram à imprensa que o dono do estabelecimento tinha muito boas relações com o parque e recebia a carne dos animais mortos.Uma inspeção policial, no entanto, descobriu que a operação era ainda mais escabrosa. Ma Shikun, o proprietário, confessou que a carne "de tigre" era, de fato, carne de burro embebida em urina de tigre para dar "um sabor especial".Além de fechar o restaurante, a polícia confiscou todos seus lucros ilegais e obrigou Ma a pagar uma multa de 2.400 iuanes (US$ 296).O Parque de Tigres Siberianos, grande atração turística da cidade de Harbin, foi fundado em 1986 com apenas oito exemplares, e hoje em dia já tem uma população de 500.Segundo as autoridades do parque cada vez que morre um tigre, oito funcionários devem participar do processo funerário, tirando e incinerando a carne, enquanto os ossos e a pele são guardados em um congelador.

Agencia Estado,

08 de setembro de 2005 | 09h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.