Resultados de células-tronco vão demorar, diz cientista

A cientista Mayana Zatz ainda comemora a aprovação do uso das células-tronco em pesquisas, mas ressalvou que os resultados ainda vão levar algum tempo. "A partir dessa liberação, nós vamos pegar as células-tronco embrionárias no laboratório e aprender com elas como se fabrica tecidos", explicou a pesquisadora, em entrevista ao "Jornal da Cultura"."O próximo passo vai ser testar esse modelo em animais e só depois em seres humanos, o que leva de três a cinco anos", prosseguiu. "Nós não vamos fazer nada que não tenha segurança."Mayana Zatz afirma que o texto aprovado pelo Congresso traz um "novo alento" aos pacientes que sofrem de doenças degenerativas, como distrofia muscular ou mal de Alzheimer. "Eu acho que agora a gente tem uma esperança real", frisou. A pesquisadora ponderou que, agora, o Brasil está em situação de igualdade com outros países que já permitiam esse tipo de pesquisa. "Tudo o que estava sendo feito lá fora a gente fazia aqui. Mas, enquanto a gente não tinha essa permissão de trabalhar com as células-tronco embrionárias, não estava sendo mais verdade", descreveu a cientista. "Agora a gente pode garantir que a esperança é igual."   leia mais sobre células-tronco

Agencia Estado,

04 de março de 2005 | 06h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.