Reunião discute futuro após Protocolo de Kyoto

Representantes de 190 países debaterão, a partir desta segunda-feira, os passos que devem ser dados para enfrentar a mudança climática quando o Protocolo do Kyoto expirar, em 2012.A 11.ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (COP 11) tem como objetivo estabelecer os compromissos para reduzir as causas do aquecimento global a partir de 2012.O fórum, que vai até 9 de dezembro, deve contar com a participação de 10 mil representantes, entre cientistas, funcionários e ONGs. É a primeira reunião dos signatários do Protocolo de Kyoto desde sua entrada em vigor, no início deste ano.O encontro está estruturado em duas partes. Na primeira, participam apenas os 157 países que ratificaram o acordo para a redução de gases que produzem o efeito estufa, enquanto as nações que ficaram de fora, como os Estados Unidos e a Austrália, só poderão participar como observadores.Mas Washington e os outros 190 países que estarão presentes em Montreal participarão das conversas que definirão o que acontecerá depois de 2012.O conteúdo das conversas de Montreal foi negociado pelo ministro canadense do Meio Ambiente, Stéphane Dion, que nos últimos meses fez uma viagem mundial para preparar o encontro.Para ele, a conferência será um sucesso se os ministros do Meio Ambiente que estarão em Montreal nos três últimos dias do encontro deixarem a cidade com um acordo aceitando o início das conversas sobre o que fazer depois de Kyoto.Segundo o ministro canadense, é "quase impossível" a assinatura em Montreal de um acordo parecido com o firmado em 1997 na cidade japonesa de Kyoto. Quase todos concordam que o esquema de Kyoto - que estabelece objetivos estritos com o objetivo de reduzir as emissões de gases - não pode se repetir.O principal conselheiro do presidente americano, George W. Bush, sobre assuntos ambientais, James Connaugthon, deixou claro que os Estados Unidos vão rejeitar qualquer discussão sobre o estabelecimento de limites obrigatórios.  mudanças climáticas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.