Rigoto rejeita rótulo de produtor de transgênicos para RS

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto(PMDB), disse nesta quarta-feira não aceitar para o Rio Grande do Sul o "carimbo" de Estado produtor de transgênicos. Segundo ele, lavouras transgênicas existem em todo o Brasil. "A solução para a comercialização dos transgênicos não é para o Rio Grande do Sul, mas paratodos os Estados do Brasil que produzem soja", ressaltou. Rigotto defendeu a diferenciação entre os produtos convencionais e os transgênicos. "Por que não temos uma política de rotulagem forte?", questionou. Ele também lamentou as restrições para realizar pesquisas no setor. O governador recebeu hoje pela manhã um plano de reconversão da sojicultura gaúcha elaborado pela bancada do PT na Assembléia Legislativa. O documento sugere a segregação dos alimentos convencionais e modificados, a assinatura de umTermo de Ajustamento de Conduta para assegurar o plantio tradicional e a fiscalização da fronteira para impedir o contrabando, entre outras medidas.Rigotto disse que irá estudar o projeto. Ainda que o assunto dependa de legislação federal, ele ressaltou que o governo estadual não deixará de se posicionar a respeito. No primeiro momento, pediu a comercialização imediata da produção e alertou que é preciso pensar nas próximas safras. "O que está faltando é uma legislação", avaliou Rigotto, após apresentarpalestra em reunião-almoço na Federação das Associações Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul).

Agencia Estado,

12 de março de 2003 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.