Robô Opportunity sai de cratera marciana após um ano

Depois de estudar diversas camadas de solo, sonda passará a analisar pedras soltas na superfície do planeta

da Redação, estadao.com.br

26 de agosto de 2008 | 17h46

O robô sobre rodas Opportunity, da Nasa, está voltando para as planícies marcianas quase um ano depois de descer para o interior de uma grande cratera, a fim de examinar camadas de rocha expostas. "Fizemos tudo o que queríamos fazer dentro da Cratera Victoria, e mais", disse o cientista da Nasa Bruce Banerdt, em nota divulgada pela agência. Completada a missão na cratera, Opportunity agora vai estudar pedras soltas na planície. Algumas dessas pedras foram jogadas a longas distâncias quando objetos que atingiam Marte criaram crateras enormes no planeta vermelho. Opportunity já passou por grupos de rochas, mas examinou apenas algumas.  "Nossa experiência nos diz que há bastante diversidade entre essas pedras", disse Scott McLennan, da Universidade do Estado de Nova York. "Nós queremos ter uma melhor qualificação delas. Uma amostragem estatística, depois que examinarmos mais delas, será importante para entender a geologia da área." Durante o ano que passou dentro da cratera Victoria, a sonda usou os instrumentos de contato de seu braço robótico para analisar a composição e as texturas das camadas de solo acessíveis.  A sonda também foi até a base do declive, chamada de "Cabo Verde", para capturar imagens detalhadas de uma pilha de detritos de seis metros de altura. As informações colhidas sugerem que os sedimentos foram depositados pelo vento e alterados pela água.  Engenheiros estão programando a sonda para sair da cratera pelo mesmo local por onde entrou. Um curto-circuito em uma das rodas do Opportunity, no mês passado, levou os cientistas a questionar se deveriam descer ainda mais na cratera ou voltar. A sonda já trabalha 10 vezes acima do nível para o qual foi criada, e o problema técnico lembrou os especialistas de que suas rodas podem falhar.

Tudo o que sabemos sobre:
MarteNasaespaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.