Roche defende eficácia do Tamiflu contra gripe aviária

A farmacêutica suíça Roche defendeu hoje a eficácia de seu antiviral Tamiflu após saber que duas pessoas, que tinham contraído o vírus da gripe aviária e que foram tratadas com esse remédio, morreram após desenvolver uma resistência ao medicamento.Uma equipe de médicos do Vietnã revelou, em artigo publicado na prestigiada revista científica New England Journal of Medicine, que tinha descoberto evidências de que o vírus H5N1 da gripe aviária pode sofrer mutação e resistir ao Tamiflu.Quatro de oito pacientes no Vietnã atingidos pela gripe aviária e tratados com o Tamiflu morreram, segundo os especialistas, comandados pelo médico Menno de Jong, da Unidade de Pesquisa Clínica da Universidade de Oxford no Hospital de Doenças Tropicais de Ho Chi Minh.O artigo aponta que foram feitos testes que mostravam que dois dos pacientes tinham desenvolvido resistência ao Tamiflu apesar de que, em pelo menos um caso, o antiviral foi fornecido em uma etapa muito adiantada da doença, como é recomendado.Em resposta a essas novas informações médicas, a Roche respondeu que os estudos confirmaram "uma rápida e constante queda da carga viral em pacientes sobreviventes" à gripe aviária, em referência à quantidade de vírus que circula pelo corpo.Além disso, o grupo farmacêutico considera que a publicação médica "confirma a importância do Tamiflu como uma opção de tratamento e que seu armazenamento deve ser parte dos planos de prevenção" ante uma eventual epidemia de gripe aviária.A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou aos países que criem reservas de antivirais para combater a possibilidade dessa epidemia, que poderia tornar-se realidade caso o vírus aviário sofra mutação e possa ser transmitido entre pessoas.Após a recomendação da OMS, a Roche recebeu solicitações de abastecimento de mais de 50 Governos, a grande maioria de países desenvolvidos. Por isso, a companhia aumentou sua capacidade de produção, que chegará a 300 milhões de tratamentos em 2007.No entanto, a Roche reconheceu que devem ser realizadas maiores avaliações sobre a necessidade de aumentar as doses, prolongar o tratamento e, provavelmente, utilizar uma combinação de tratamentos em pacientes atingidos pela gripe aviária.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2005 | 11h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.