Roche suspende entrega de Tamiflu para farmácias

O laboratório suíço Roche decidiu nesta quinta-feira suspender temporariamente o fornecimento de seu antiviral Tamiflu no mundo todo, para garantir a disponibilidade de uma quantidade suficiente do medicamento quando chegar a próxima temporada de gripe, no início do próximo ano.A decisão não afeta o fornecimento de estoques para combate a uma eventual pandemia de gripe aviária entre humanos, garantiu a companhia. A Roche havia anunciado na semana passada que tomaria esta decisão."Decidimos suspender o fornecimento do remédio de forma temporária para que, quando a temporada da gripe normal chegar, todo mundo que precisar tenha acesso ao Tamiflu", disse o porta-voz Alexander Klauser.O Tamiflu é um antiviral patenteado pela Roche que poderia ser eficaz diante de uma possível pandemia entre humanos provocada por uma eventual mutação do vírus da gripe aviária que o torne transmissível de pessoa para pessoa.O porta-voz da Roche ressaltou que o laboratório administra de forma independente o fornecimento do remédio destinado a uma possível pandemia entre humanos e o fornecimento do remédio destinado ao público em geral para tratar a gripe convencional.A eficácia do Tamiflu para o tratamento da gripe aviária em pessoas ainda não está comprovado, mas o remédio é muito eficaz no tratamento da gripe convencional. O temor de uma pandemia do vírus H5N1 entre humanos fez com que milhares de pessoas comprassem o Tamiflu para estocar o remédio.A demanda foi tão grande que o remédio está se esgotando nas farmácias dos países onde é comercializado, e mais de 40 governos solicitaram milhões de doses do antiviral.O laboratório "está consciente do interesse que o Tamiflu despertou", mas não quer alimentar "o pânico gerado" diante de uma possível pandemia, segundo o porta-voz.O vírus da gripe aviária afetou até agora 118 pessoas, matando 62 delas, segundo dados fornecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Por enquanto, diz a OMS, o risco de contágio entre pessoas é muito baixo.A chegada de aves migratórias infectadas com o vírus H5N1 a Rússia, Romênia, Turquia e Croácia despertou o alarme internacional, já que até agora a doença estava limitada à Ásia.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

27 de outubro de 2005 | 12h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.