Romênia confirma novos casos de H5N1 em aves

As autoridades romenas confirmaram a presença do vírus H5N1 em quatro galinhas mortas na semana passada na cidade de Caraorman, no delta Rio do Danúbio. O ministro da Agricultura, Gheorghe Flutur, disse que os exames foram feitos pelo laboratório de Weybridge, no Reino Unido.As aves morreram em 14 de novembro. As autoridades romenas anunciaram o sacrifício das cerca de duas mil aves de granja desta cidade isolada no Delta e realizaram a várias desinfecções.Foram confirmados até agora três focos de gripe aviária no sudeste da Romênia. Maliuc foi o segundo foco de gripe aviária declarado na Romênia e também o segundo a ser extinto. Nesta zona úmida da desembocadura do Danúbio no Mar Negro também foram registrados casos de aves silvestres mortas por gripe aviária em lugares isolados e que não afetaram as aves domésticas.A Romênia é o primeiro país europeu a ter o vírus da gripe aviária em sua forma mais perigosa, que matou 63 pessoas e acabou com milhões de aves na Ásia. Neste país balcânico não houve nenhum caso de contágio com o vírus H5N1 nas pessoas.CanadáO Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou nesta terça-feira a suspensão de todas as importações de aves provenientes do Canadá, onde no domingo foi anunciada a ocorrência de vírus H5N1 em dois patos silvestres capturados em Manitoba, região central do país. O Japão também suspendeu importações do Canadá.Os Estados Unidos importaram no ano passado o equivalente a US$ 185,9 milhões em aves e produtos derivados canadenses, o que representou um crescimento de 37% em relação ao ano anterior. O Canadá é o sétimo exportador de produtos avícolas, atrás do Brasil, Estados Unidos, União Européia, Tailândia, China e Argentina, segundo o USDA.   leia mais sobre gripe aviária

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.