Romenia examina mais duas aves com vírus

As autoridades romenas informaram nesta segunda-feira que detectaram um vírus H5 da gripe aviária em duas aves silvestres encontradas mortas no sudeste do país, região onde já foram confirmados dois focos da doença. Ainda não se sabe se é o perigoso H5N1.O ministro da Agricultura romeno, Gheorghe Flutur disse que se trata de um cisne achado na zona dos lagos do sul do Delta do Danúbio, em Razlem-Sinoe, e de um ganso selvagem visto na margem do Danúbio, perto da localidade Vadul Oii.O material recolhido dessas duas aves será enviado, como nos casos anteriores, ao laboratório europeu de Weybridge, no Reino Unido.No sudeste da Romênia, no Delta do Danúbio, foram confirmados até agora dois focos de gripe aviária com o vírus altamente patogênico H5N1.Um terceiro foco pode ter ocorrido na fronteira com a Moldávia, mas as autoridades locais resistem em admitir isso, alegando que a garça encontrada morta naquela região teria migrado de um dos dois focos do Delta do Danúbio. Suspeita ao norte de TóquioAs autoridades sanitárias de Ibaraki, província situada ao norte de Tóquio, informaram nesta segunda-feira da existência de um possível foco de gripe aviária em uma granja da região, onde serão sacrificados 82 mil frangos.No ano passado, foi detectada a versão mais perigosa da doença, o vírus H5N1, nas províncias de Yamaguchi, Oita e Kioto, no sudoeste do país.As aves dessa propriedade de Ogawa, em Ibaraki, estiveram em algum momento infectadas com um dos vírus da gripe aviária, segundo revelaram os testes a que foram submetidas, informou a agência Kyodo. Embora o tipo de vírus ainda não tenha sido identificado, as autoridades de Ibaraki ordenaram a eliminação dos frangos.Até 13 de outubro passado, o governo de Ibaraki tinha ordenado a eliminação de cerca de 1,48 milhão de frangos em 26 propriedades e já realizava novos testes para verificar se podia levantar a quarentena atual sobre frangos e ovos.Áustria e IraqueNa Áustria, as autoridades anunciaram que farão testes num cisne achado no último sábado, no Rio Danúbio - o rio nasce na Alemanha e chega ao Mar Negro, passando por mais dez países -, para verificar se o vírus H5N1 foi o causador de sua morte.O Iraque confirmou dois casos da versão não letal da gripe aviária, mas reforçou que até agora o H5N1 não foi detectado no país.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

31 de outubro de 2005 | 13h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.