Romênia tem 3.º foco de H5N1, na divisa com Moldávia

As autoridades romenas confirmaram nesta sexta-feira a presença do vírus letal H5N1 em uma garça morta achada na semana passada em Vaslui, na fronteira com a República da Moldávia. Esta é a terceira ocorrência deste vírus na Romênia.Segundo Gheorghe Flutur, ministro romeno da Agricultura, a ave foi achada fora do perímetro da localidade de Falciu, na margem do Rio Prut, 700 metros da ponte que liga a Romênia à República da Moldávia. O ministro disse que as análises foram feitas laboratório de Weybridge, na Grã-Bretanha.Flutur assinalou que foram intensificadas as medidas preventivas nesta região, em primeiro lugar a obrigatoriedade do confinamento das aves domésticas para não entrar em contato com as aves migratórias. Ele garantiu que não há mortalidade entre as aves de granjas e fazendas nos povoados da área.Os dois primeiros focos do vírus potencialmente perigoso ao homem ocorreram em duas localidades do delta do Rio Danúbio, Ceamurila de Jos e Maliuc, tanto em aves de granja como em aves silvestres. Nos dois focos foram exterminadas milhares de aves e toda a população foi vacinada contra a gripe comum.As restrições de viagem foram suspensas parcialmente depois de durante três semanas não aparecer nesses lugares outro caso de gripe aviária e nem contágios em seres humanos.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

28 de outubro de 2005 | 13h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.