Roteiro para Fidel reinventar sua ilha

Controvérsias políticas a parte, Cuba tem motivos de sobra para olhar o turismo com muito carinho

Mônica Nóbrega,

16 Setembro 2010 | 08h00

Controvérsias sobre o modelo econômico à parte, a ilha de Fidel Castro tem motivos de sobra para olhar o turismo com muito carinho. Detentor de belezas naturais e variado patrimônio cultural, o país certamente aumentaria a arrecadação de pesos convertibles - o dinheiro turístico, cujo valor é cerca de 10% superior ao dólar - se melhorasse sua infraestrutura. São necessários mais voos domésticos, hotéis de qualidade e boas estradas. Na verdade, ter alguns restaurantes com banheiro limpo no caminho entre as cidades já ajudaria bastante. Selecionamos as localidades que podem ajudar a começar mais essa revolução.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O balneário

Varadero é o destino de quem procura o Caribe em Cuba. Tem cerca de 40 opções de hospedagem (inclusive resorts), muitas desgastados pelo tempo - redes como Iberostar e Sol Meliá aumentam as chances de acerto. Sol, mar e mergulho são as atrações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

A capital

A arquitetura espanhola de Havana sofre com a falta de conservação. Mas são exatamente as fachadas desbotadas e as ruazinhas que garantem parte do charme da capital. Campeões de audiência: Havana Velha, Capitólio, fábrica de charutos Partagas, bar La Bodeguita del Medio, Malecón, Museu do Rum e canhonaço do Castelo San Carlos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

A histórica

A inesgotável curiosidade a respeito de Che Guevara leva 300 mil visitantes por ano a Santa Clara, onde o ícone da Revolução Cubana comandou a batalha mais importante do período. Uma estátua de bronze marca o local onde existe um museu sobre a vida do líder.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

A pequena notável

Uma tarde é suficiente para ver as casas de madeira do centro de Baracoa, a primeira cidade fundada em Cuba. Já os passeios pelas exuberantes áreas naturais dos arredores merecem mais. O Rio Toa, a praia homônima e o trekking até o alto da montanha El Yunque são os mais concorridos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

O patrimônio

Casas coloniais e ruas de pedra proibidas aos carros deram a Trinidad o título de Patrimônio da Unesco. A cidadezinha tem espírito místico e baladeiro. A santería, religião afrocubana parente do candomblé, espalha sua simbologia. Há clubes de salsa por toda parte. Casas de moradores são a principal opção de hospedagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
CubailhaChe Guevaraviagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.