Rússia detecta foco de gripe aviária no vale do Volga

O Ministério da Agricultura da Rússia anunciou que mais de 200 cisnes foram encontrados mortos em conseqüência da gripe aviária na região de Astrakhan, no vale do Rio Volga. Os exames feitos em dois laboratórios confirmaram que as aves, cujos corpos foram recolhidos no delta do rio durante os últimos oito dias, tinham contraído a gripe H5.Em nota oficial, as autoridades afirmam que o lugar onde foram achados os cisnes mortos se encontra cerca de 15 quilômetros da cidade mais próxima e que foram tomadas medidas para impedir a proliferação da doença na região.As autoridades advertiram recentemente que a ameaça da gripe aviária na parte européia da Rússia deve se multiplicar por cem em meados de 2006. O aumento da ameaça de contágio se deve ao fato de que a densidade de população humana e de aves de granja na parte européia do país é dez vezes maior que na Sibéria e no extremo oriente russo, onde se registraram os primeiros focos.Segundo o chefe adjunto da Inspeção Veterinária da Rússia, Nikolai Vlasov, é muito provável que no próximo ano os focos de gripe aviária afetem todo o território europeu da Rússia, dos Urais à fronteira ocidental do país.O subdiretor da Inspeção Agrícola da Rússia, Yevgueni Nepoklonov, informou que a gripe aviária causou neste ano a morte de cerca de 700 mil aves de criação, 200 mil em fazendas familiares e 500 mil em uma fazenda industrial na região de Kurgan, nos Montes Urais.De acordo com as previsões da Inspeção Agrícola, em 2005 as aves mortas por gripe aviária vão girar em torno de 1 milhão na Rússia.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

23 de novembro de 2005 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.