Rússia duplicará seus gastos com programa espacial em 2009

Com aumento, investimentos na Roscosmos chegarão aos níveis que atingiam durante a União Soviética

Efe

14 de julho de 2008 | 18h20

A Rússia vai duplicar, em 2009, o gasto com seu programa espacial, com o que atingirá os montantes que investia a União Soviética, disse nesta segunda-feira, 14, Vitali Davidov, subdiretor da Agência Espacial Russa (Roscosmos). "O aumento afetará todas as esferas do programa espacial federal e não apenas os vôos tripulados", disse Davidov à agencia oficial Itar-Tass.  No entanto, Davidov não especificou quais foram os gastos de 2008, nem a quanto chegarão em 2009. Se conhecem os gastos de 2007, que foram de US$ 1,34 milhão, e o gasto do programa espacial soviético em 1989, que chegava a US$ 3,28 milhões. Mesmo com o aumento, a Rússia ainda destinará menos dinheiro às atividades espaciais que França, Japão, União Européia e Estados Unidos, país que investes US$ 17 milhões por ano.  Davidov apontou que, apesar de a Duma (câmara dos deputados) ainda ter que aprovar o orçamento durante o mês de agosto, o ministério das finanças já garantiu o aumento à Roscosmos.  "Todas as naves espaciais cujas decolagens estão previstas para os próximos três anos serão lançadas", disse. Entre outras coisas, o dinheiro destinado à Roscosmos será usado para desenvolver uma nova nave espacial que substitua a Soyuz.

Tudo o que sabemos sobre:
Roscosmosespaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.