Rússia não assina Protocolo de Kyoto, diz assessor de Putin

Andrei Ilarionov, um dos principais assessores econômicos do presidente da Rússia, Vladimir Putin, descartou a hipótese de seu país ratificar o Protocolo de Kyoto, que estabelece metas de redução das emissões de gases que provocam oaquecimento global (o chamado "efeito estufa")."Em sua forma atual, o Protocolo de Kyoto impõe limitações significativas ao crescimento econômico da Rússia. É claro que, em sua forma atual, o Protocolo não pode ser assinado", afirmou Ilarionov a repórteres.A de claração coincide com a realização, de ontem até dia 12 em Milão, de uma conferência das Nações Unidas sobre a implantação do Protocolo de Kyoto. O acordo, de 1997, foi assinado por 120 países; para entrar em vigor, ele precisa ser ratificado por 55 países, que respondam por pelo menos 55% das emissões de gases.Os EUA haviam assinado o Protocolo em 1997, ainda durante o Bill Clinton, mas seu sucessor, George W. Bush, retirou a assinatura. Com isso, a ratificação do acordo pela Rússia havia se tornado uma condição necessária para suaimplementação.Putin já havia levantado dúvidas sobre a disposição da Rússia de ratificar o Protocolo, mas o Kremlin não havia descartado essa hipótese publicamente. As informações são da Associated Press, citada pela Dow Jones.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2003 | 15h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.