Rússia procura fornecedores para simulação de voo a Marte

Academia de Ciências da Rússia busca parceiros que forneçam alimentos, utensílios e roupas para experimento

Efe,

19 Novembro 2009 | 17h18

A Rússia procura fornecedores de alimentos, utensílios e roupas para os seis participantes de uma simulação de um voo a Marte, que a partir do primeiro semestre de 2010 permanecerão isolados do mundo em um módulo durante 520 dias.

 

Veja também:

linkAstronautas do Atlantis fazem primeira caminhada espacial

linkNasa lança jogo em que usuário ajudará a explorar Marte

 

"Estamos buscando parceiros para fornecer alimentos para o café da manhã (mingaus e diversos tipos de cereais e produtos lácteos em pó)", afirmou um porta-voz do Instituto de Problemas Biomédicos (IPBM) da Academia de Ciências da Rússia, à agência RIA Novosti.

 

Além disso, são necessárias empresas que forneçam diversos tipos de queijos, patês de carne e fígado, sobremesas de frutas, produtos de confeitaria e uma série de alimentos desidratados e em conserva para as refeições, guarnições, assim como bebidas, também desidratadas, acrescentou.

 

Segundo o porta-voz, os alimentos dos participantes da simulação do voo ao "planeta vermelho" devem incluir uma grande variedade de produtos com datas de validade superiores a dois anos, devido ao tempo de duração do experimento.

 

"Devem ser produtos e alimentos prontos para o consumo, já que no simulador a comida só poderá ser preparada no micro-ondas ou acrescentando água quente ou fria aos produtos desidratados", detalhou.

 

Além disso, a tripulação precisará de outros artigos como roupas esportivas e sapatos, roupas de camas, pratos, guardanapos, toalhas de papel e outros artigos de higiene pessoal.

 

Em 14 de julho, foi concluída a simulação de voo a Marte de 105 dias, considerada a ante-sala do projeto principal, o "Marte-500". A experiência de 105 dias foi dividida em três partes: o voo da nave na órbita terrestre, o voo a Marte e a estadia em órbita marciana.

 

A simulação foi idealizada para testar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos integrantes da tripulação, e permitir aos cientistas estudar o dia a dia, e os efeitos do isolamento de longa duração.

 

Durante o projeto principal, os seis voluntários permanecerão no simulador por 520 dias. Este é o tempo real de uma viagem de ida e volta a Marte, mais uma estadia de 30 dias na superfície marciana.

Mais conteúdo sobre:
Russia Marte voo espacial

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.