Rússia ratificará Protocolo de Kyoto, garante imprensa

O governo russo aprovará a ratificação do Protocolo de Kyoto sobre mudanças climáticas, informou nesta quarta-feira, a imprensa russa. Moscou vinha se esquivando de aprovar o documento ambiental de 1997, que precisa de apoio russo para poder ser implementado no mundo.As agências de notícias Interfax e ITAR-Tass citaram fontes não identificadas dentro do governo russo para informar que um projeto de lei sobre o tema deverá ser apresentado amanhã pelo governo. Isso significaria que a ratificação conta com o apoio de Putin, tornando muito provável a aprovação do projeto pelo Parlamento.Funcionários do governo recusaram-se a comentar o assunto. Os opositores russos do Protocolo de Kyoto, liderados pelo conselheiro econômico de Putin, Andrei Illarionov, alegam que a adesão ao acordo prejudicaria o crescimento econômico do país e impossibilitaria a meta de duplicar o produto interno bruto da Rússia ao longo dos próximos dez anos.A UE pressionou a Rússia por muito tempo para que aceitasse o Protocolo de Kyoto. Para entrar em vigor, o documento precisa ser ratificado por pelo menos 55 países responsáveis por 55% das emissões globais de poluentes segundo dados de 1990.Atualmente, esse mínimo só pode ser alcançado com a ratificação por parte da Rússia, já que os Estados Unidos e outros países com altos índices de emissões de poluentes recusam-se a aderir ao documento forjado no Japão em 1997.A decisão da Rússia colocará obrigará o Japão e outros países a reduzirem as emissões de dióxido de carbono e outros gases que provocam o efeito estufa e o aquecimento global, diz o diário Nihon Keizai Shimbun (Nikkei).Nota do editor: Este texto foi alterado em 29/09/04. Foram incluídos detalhes e destacadas as informações sobre a provável ratificação do tratado pelo governo russo.

Agencia Estado,

29 de setembro de 2004 | 21h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.