Sabor de Fazenda em plena metrópole

O gosto pelo uso de plantas medicinais e aromáticas levou a nutricionista Silvia Jeha a investir na produção de mudas orgânicas, criando um viveiro que funciona, também, como um centro de cursos e visitação. O diferencial, neste caso, é que a pequena chácara, de mil metros quadrados, fica a menos de 10 Km do centro de São Paulo, no meio de uma zona industrial, no bairro da Vila Maria.Cercado por fábricas e transportadoras, o Viveiro Sabor da Fazenda é um oásis de verde e sossego, e um exemplo de recuperação de um pequeno espaço urbano. ?Eu tinha um viveiro nos fundo de uma casa neste bairro, mas começou a crescer e tive a idéia, há nove anos, de trazer para este terreno da família, que encontrava-se sem uso e cheio de lixo?, conta Silvia. Somente para limpar o local, foi necessária a retirada de mais de 30 basculantes de entulho.Segundo a nutricionista, que trabalha em sociedade com a irmã, a geógrafa Sabrina, e infra-estrutura foi sendo montada aos poucos, com a construção de uma casa para os caseiros, escritório e a estrutura do viveiro. ?Começamos com cerca de 15 espécies, entre ervas medicinais e aromáticas. Hoje, produzimos 8 mil plantas por mês, de cerca de 100 espécies, com capacidade de estoque de até 15 mil mudas?.A produção, comercializada em lojas de jardinagem e diretamente no local, é certificada pela Associação de Agricultura Orgânica (AAO) e inclui espécies como citronela, alfazema, alecrim, cebolinha, cavalinha, hortelã, malva, erva cidreira e babosa. ?Tudo é feito aqui, desde os berçários de sementes até os canteiros matriz, de onde tiramos as mudas que, colocadas em potinhos, vão para o viveiro de telas?.A idéia é aproveitar tudo no processo, seja ocupando cada pequeno espaço do terreno ou fazendo compostagem orgânica dos resíduos, para a produção de terra e adubo orgânicos, e minhocultura. As proprietárias procuram, também, utilizar sempre que possível produtos reciclados. As bancadas do viveiro, por exemplo, são telas de moedas de aço inox. Embaixo delas, o matinho que nasce é mantido, ?porque as pragas e doenças acabam ficando nele?, explica Silvia.Com o tempo, a curiosidade dos clientes, que viviam perguntando como cultivar ou como fazer uma horta, levou as proprietárias do Sabor de Fazenda a desenvolver cursos, que são dados na varanda do viveiro ou em outros locais, além de prestarem consultorias para a confecção de jardins medicinais. ?Nosso carro-chefe continua sendo a produção de mudas, mas os outros serviços são fundamentais para manter a estrutura, que hoje conta com seis pessoas?, conta.Entre os serviços do viveiro, estão ainda a venda de adubo e terra orgânicos, produção de plantas adultas para paisagismo, venda e montagem de vasos, além de cestas para presentes e brindes com ervas. O destaque, porém, é o trabalho com educação ambiental para crianças, num projeto chamado Dedinho Verde.Em visitas programadas de escolas, crianças entre 4 e 11 anos, aprendem como fazer compostagem e minhocultura, recolher e separar o lixo, identificar frutas - em um pomar localizado ao lado do viveiro, onde fazem o lanche debaixo das árvores -, e fazer o plantio das mudinhas em garrafas PET, que depois levam para casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.