Divulgação
Divulgação

Sanguessuga fornece prova contra ladrão australiano

Pista obtida com sangue contido no animal ajudou a esclarecer crime ocorrido há oito anos.

Nick Bryant, BBC

20 Outubro 2009 | 07h42

A polícia da Austrália usou uma amostra de sangue obtida de uma sanguessuga para determinar a identidade de um criminoso. Nesta segunda-feira, o ladrão declarou-se culpado do crime.

Há oito anos, dois ladrões invadiram a casa de uma mulher de 71 anos na ilha australiana da Tasmânia. Eles a amarraram a uma cadeira e roubaram centenas de dólares em dinheiro.

A polícia encontrou uma sanguessuga na cena do crime e pegou uma amostra do sangue contido no animal. Os policiais acreditavam que o sangue seria de um dos criminosos.

Em 2008, o australiano Peter Alec Canon foi preso por uso de drogas, em um incidente não relacionado ao roubo.

No entanto, um exame de DNA de seu sangue revelou que ele era o autor do roubo, graças à comparação com o sangue obtido da sanguessuga.

Em um julgamento na segunda-feira, ele se declarou culpado do roubo. Canon pode pegar até 21 anos de prisão. A sentença será anunciada no final desta semana.

Segundo as autoridades, esta teria sido a primeira vez que o sangue obtido de uma sanguessuga foi usado para ajudar a esclarecer um crime.  BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.