Santa Sé teve prejuízo de 9,06 milhões de euros em 2007

Já o Estado da Cidade do Vaticano teve resultado positivo no valor de 6,7 milhões de euros (R$ 17 milhões)

Efe

09 de julho de 2008 | 20h45

A Santa Sé fechou 2007 com perdas de 9,06 milhões de euros (R$ 23 milhões), enquanto o Estado da Cidade do Vaticano teve resultado positivo no valor de 6,7 milhões de euros (R$ 17 milhões), informou nesta quarta-feira, 9, o Vaticano.     O Vaticano se diferencia entre a Santa Sé, que inclui os dicastérios - Ministérios - e organismos anexos, assim como as nunciaturas (representações diplomáticas no exterior), e o Estado da Cidade do Vaticano, onde fica a Basílica de São Pedro e se encontram, entre outros, os museus Vaticanos.   O faturamento da Santa Sé no período foi de 236,7 milhões de euros e as despesas, de 245,8 milhões de euros, segundo o balanço apresentado por arcebispo Velasio De Paolis, presidente da Prefeitura de Assuntos Econômicos.   De Paolis também apresentou os resultados do Estado da Cidade do Vaticano, que teve superávit no valor de 6,7 milhões de euros.   Embora seja um resultado positivo, está muito aquém dos 21,8 milhões de euros de superávit do ano passado.   Além do balanço, também foi apresentado o resultado do Óbolo de São Pedro, formado pelas doações recebidas pelo papa de fiéis de todo o mundo, que alcançou os 50,69 milhões de euros, frente aos 64,73 milhões de euros do ano passado.   O Vaticano especificou hoje que as perdas se devem ao "brusco e acentuado investimento de tendência na oscilação da taxa de juros, principalmente do dólar" e aos gastos do setor imobiliário (restaurações de edifícios e palácios da Santa Sé e aumento das despesas dos imóveis).

Tudo o que sabemos sobre:
Vaticanoreligiãofinanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.