Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Santuários de baleias são derrotados pelo Japão

As duas propostas de criação de santuários de baleias, apresentadas ontem na reunião da Comissão Internacional de Baleias (CIB), em Berlim, obtiveram a maioria dos votos a favor, mas não foram aprovadas, por que não alcançaram os ¾ dos votos necessários (maioria qualificada). A proposta do Brasil e da Argentina, de criar o Santuário de Baleias do Atlântico Sul, obteve 24 votos a favor e 19 contra, com três abstenções. A proposta da Austrália e da Nova Zelândia, de criar o Santuário de Baleias do Pacífico Sul, terminou com um apenas um voto contra a menos, o da Mongólia, cujo delegado foi almoçar na hora da votação."O medo da perda do apoio econômico japonês falou mais alto", lamentou José Truda Palazzo, da delegação brasileira, resumindo a decepção dos conservacionistas com a votação, marcada pelo posicionamento de países caribenhos e africanos, em favor do Japão, em retribuição aos investimentos realizados em sua indústria pesqueira. ?Está na hora das Nações Unidas investigarem essa ?diplomacia do cheque?, que representa séria ameaça à governança global em meio ambiente", declarou à imprensa o presidente da Coalizão Internacional da Vida Silvestre nos Estados Unidos, Daniel J. Morast. Segundo ele, o problema da compra de votos pelo Japão está se estendendo a outros tratados e ameaçando a conservação de várias espécies ameaçadas de flora e fauna. O presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e chefe da delegação brasileira, Marcus Barros, afirmou que insistirá na proposta do Santuário do Atlântico Sul e pretende reapresentá-la nas próximas reuniões da CIB. "Estamos convencidos da seriedade da proposta e de que ela é essencial para proteger nossa região da volta da matança desenfreada de baleias", comentou. Votaram a favor a África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Áustria, Brasil, Chile, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Índia, Itália, México, Mônaco, Nova Zelândia, Omã, Peru, Portugal, Reino Unido, San Marino, Suécia e Suíça. Foram contra Antígua & Barbuda, Benin, China, Coréia do Sul, Dinamarca, Dominica, Granada, Guiné, Ilhas Salomão, Islândia, Japão, Mongólia, Nicarágua, Noruega, Palau, Panamá, Rússia, São Kitts & Nevis e Santa Lucia. Preferiram se abster a Irlanda, Marrocos e São Vicente & Granadinas. Na última hora, o Gabão abandonou o chamado ?bloco do yen?, comprometendo-se em apoiar o santuário, mas não pode votar, por não estar com suas contribuições à CIB em dia.O Japão sofreu uma derrota, no entanto, com a rejeição de sua proposta de reabrir a caça comercial no Santuário de Baleias da Antártica, criado em 1994. Navios-indústria japoneses invadem a área de proteção, todos os anos, sob o pretexto de praticar a chamada ?caça científica?, mas vem sofrendo pressões crescentes de outros países e enfrentam protestos de ambientalistas. A proposta japonesa foi rejeitada por 26 votos contra 17.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.