São Paulo começa implantar coleta seletiva

A prefeita Marta Suplicy inaugurou hoje a primeira Central de Coleta Seletiva Solidária da cidade, que funcionará no Tatuapé, na zona leste. A Central será gerida por uma cooperativa de catadores que atuam nos bairros da Mooca, Vila Prudente, Aricanduva e Sapopemba. A Central recebeu do município o prédio, os uniformes e os equipamentos, incluindo caminhões para o transporte do material, e começa a funcionar com 20 cooperados, podendo chegar a até 150. Os catadores, que antes trabalhavam sozinhos ou em pequenos grupos e vendiam os materiais coletados para intermediários, passarão a vender diretamente para empresas recicladoras. Com isso, espera-se que consigam triplicar suas rendas.O material reciclável poderá ser entregue pela população em 41 pontos de entrega voluntária (PEVs), que serão instalados nos bairros cobertos pela cooperativa. Os moradores devem separar o lixo em orgânico e reciclável e a central se encarregará da separação por materiais. Segundo o secretário municipal de Serviços e Obras, Osvaldo Misso, o objetivo é que, a partir da capacitação e organização da central, os próprios cooperados possam implantar também a coleta porta a porta, o que pode começar até o fim do ano. A Prefeitura promete implantar pelo menos seis centrais ainda em 2003 e, com isso, reciclar 5% do lixo produzido no município. A meta é colocar em funcionamento, até o final de 2004, 31 centrais de coleta seletiva, com redução de 10% sobre as 12 mil toneladas de lixo produzidas diariamente. Os próximos bairros a contarem com centrais de coleta serão a Sé e a Lapa.

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2003 | 15h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.