São Paulo terá US$ 7,75 milhões para matas ciliares

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, vai até Washington no dia 27 para receber uma doação de US$ 7,75 milhões do Banco Mundial (Bird) para o Projeto Estadual de Recuperação de Matas Ciliares nas Microbacias Hidrográficas de São Paulo.Esse dinheiro, ligado ao Fundo Mundial do Meio Ambiente (GEF), será encaminhado progressivamente ao governo paulista e faz parte de um projeto de US$ 19,52 milhões para recuperar e preservar matas ciliares em rios, córregos e lagos do Estado até 2009.A doação foi anunciada no ano passado e já está aprovada pela direção do Banco Mundial. A assinatura do acordo será feita por Alckmin e pelo diretor do Bird para Projetos de Desenvolvimento Sustentável do Meio Ambiente na América Latina e no Caribe, John Redwood III.Créditos de carbonoO governo paulista quer usar as matas ciliares reflorestadas para entrar no mercado de créditos de carbono, recurso previsto pelo Protocolo de Kyoto, acordo internacional que entrou em vigor em fevereiro e do qual o Brasil faz parte. Projetos de pequena escala, de reflorestamento e conservação contam pontos dentro do mecanismo.A Secretaria do Meio Ambiente deseja usar o carbono como compensador econômico para incentivar a expansão e o reflorestamento das matas nativas no entorno de corpos d´água, como rios e lagos. A intenção é chamar a participação de prefeituras, empresas, produtores rurais e ONGs.   estatísticas sobre florestas

Agencia Estado,

20 de junho de 2005 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.