São Sebastião discute fiscalização ambiental

O Ministério Público, em parceria com a prefeitura de São Sebastião, promove nesta quinta-feira, nesta cidade do litoral norte paulista, uma reunião com órgãos públicos ligados à fiscalização do meio ambiente.Segundo o secretário municipal do Meio Ambiente, Wander Augusto, o maior problema enfrentado pelos municípios do litoral norte, principalmente São Sebastião, é a invasão de áreas públicas por loteamentos irregulares. ?Enquanto a gente age de um lado, há invasão de outro?.O secretário enfatizou a necessidade do trabalho integrado entre a Polícia Ambiental e fiscais da prefeitura, Cetesb, Ibama e Instituto Florestal. ?São Sebastião é uma das poucas cidades onde o trabalho é feito em conjunto, onde há uma ação única entre a prefeitura e fiscais do Parque Nacional.?Em São Sebastião existe uma grande preocupação com o crescimento desordenado de novos bairros na periferia, já que 75% da área da cidade pertence ao Parque Estadual da Serra do Mar.?Se a construção estiver em área de risco, pública ou de preservação permanente, não tem como esperar, temos que agir rápido antes que a construção seja concluída?, afirma o diretor municipal de Meio Ambiente, Nivaldo Simões.Da área total do município, 84% pertencem ao Parque Nacional da Serra do Mar, o que obriga a prefeitura a manter uma ação fiscalizadora constante. Nos últimos dois anos, a prefeitura de São Sebastião demoliu cerca de 250 construções irregulares que estavam em áreas de risco, áreas públicas ou de preservação ambiental.A derrubada faz parte da ação promovida pela administração pública e realizada em parceria com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Polícia Ambiental. O encontro desta quinta será presidido pela Procuradora do Estado no Litoral Norte, Elaine Taborda, e vai reunir em São Sebastião representantes de órgãos públicos como Ibama, Cetesb, Vigilância Sanitária, Instituto Florestal do Estado e Polícia Ambiental.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2002 | 23h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.