Satélite vê astro intermediário entre planeta e estrela

Corpo têm massa demais para ser um planeta e muito pouca para ser uma estrela dizem descobridores

06 de outubro de 2008 | 16h02

O satélite europeu Corot descobriu um objeto de grande massa e do tamanho de um planeta em órbita muito próxima de sua estrela. O corpo é tão exótico, diz nota da Agência Espacial Européia (ESA), que os cientistas não sabem se devem classificá-lo como planeta ou como uma estrela fracassada.   O objeto, batizado Corot-exo-3b, tem aproximadamente o tamanho do planeta Júpiter, mas mais de 20 vezes a massa do maior dos planetas do Sistema Solar. Esse novo corpo precisa de apenas quatro dias e seis horas para completar uma volta em torno de sua estrela, que é um pouco maior que o Sol. Corot-exo-3b foi descoberto graças a uma queda no brilho da estrela, que ocorre toda vez que o objeto passa diante dela. "Ficamos surpresos quando vimos um objeto de tamanha massa orbitando tão perto da estrela", disse a astrofísica Magali Deleuil, do Laboratoire d'Astrophysique de Marseille (LAM), líder da equipe que fez a descoberta.  "Corot-exo-3b é realmente único. Ainda esrtamos debatendo sua natureza".   A busca por planetas que cumprem órbitas velozes - de menos de dez dias - ao redor de suas estrelas já dura quase 15 anos, e cientistas já descobriram planetas com massas de até 12 vezes a de Júpiter, e estrelas com massas a partir de 70 vezes a de Júpiter, mas nada no meio do caminho, diz a nota da ESA.    O objeto não se deixa classificar facilmente nem mesmo como anã marrom, uma categoria que inclui "estrelas fracassadas", que não sofrem fusão nuclear mas têm algumas características de estrelas. "Não sabemos onde está o limite entre planeta e anã marrom", diz Magali.

Tudo o que sabemos sobre:
planetaestrelacorot

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.